Blinking LEDs with Intel Galileo, Yocto and shell script

Using shell script to control LEDs from the Yocto system powering the Intel Galileo board. Using the documentation from Sergey’s Blog. Full shell script bellow:

#!/bin/sh

# gpio17 = Galileo pin 5
# gpio24 = Galileo pin 6
# gpio27 = Galileo pin 7

for i in 17 24 27; do
  echo out > /sys/class/gpio/gpio$i/direction
  echo strong > /sys/class/gpio/gpio$i/drive
done

for i in `seq 5`; do
  echo 0 > /sys/class/gpio/gpio17/value
  echo 0 > /sys/class/gpio/gpio24/value
  echo 0 > /sys/class/gpio/gpio27/value
  sleep 1
  echo 1 > /sys/class/gpio/gpio17/value
  echo 1 > /sys/class/gpio/gpio24/value
  echo 1 > /sys/class/gpio/gpio27/value
  sleep 1
done 

Germany’s first all-women Hackathon – by Berlin Geekettes

This weekend, right after MWC13, I went to Germany’s first all-women hackathon, organized by Berlin Geekettes (in Berlin). The event was invite only, and I was one of the +100 women – yes, +100 women – who attended and spent the weekend hacking. You can see pictures summing up the event at http://bghackathon.tumblr.com/. I served as UX and designer consultant for two teams, and one of the teams came in 4th! Full details of this amazing experience bellow:

Berlin Geekettes started one year ago, founded by Jess Erickson, and in just one year managed to form a network of +400 women connected to technology, from developers, designers, to entrepreneurs and angel investors. The team was approached and invited to Google, Facebook and other companies, to present the group and talk about their experience. The main team is formed of 4 other women, including an events manager, a technical ambassador, an evangelist and an official photographer/designer. The website is http://berlingeekettes.com/, but it will be changed soon from a Tumblr based to a full CMS page.

The Hackathon was attended by more than 100 women. This is a remarkable number even for those who are active in female oriented online groups and know how many women are active but avoid regular events for a number of reasons. The absolutely majority was developers of web applications, very few C developers. I didn’t count how many ideas were pitched, but in the end 28 projects were finalized and demoed. The event was sponsored and hosted by Deutsche Telekom, which provided space, flawless internet access and technical support; SoundCloud, sponsoring meals, prizes and having engineers to support the apps development; Uber, a car service who offered every participant one free ride anywhere and anytime; plus 15 smaller sponsorships, several with onsite engineers to support the developers. Facebook wanted to be there but double booked, so they send a video message specially recorded for the event. The Hackathon ran officially for 24hs, with extra activities expanding the event to a total of 48hs.

The difference from the regular hackathon, besides being an all-women event, was the inclusion of a yoga stretching room, where a volunteer ran 10min sessions during the 24hs to help developers to take a break; real food, delicious, organic, provided by an independent chef; a crafts room, where Etsy helped developers to craft their mascot; the sponsorship of a car service company to give everyone the sense of safety and freedom to hack as long as they wanted, and 2 little kids supporting their respective moms during demo time. Besides that, was everything like any other hackathon, obsessive hackers coding away, groups collaborating, arguing, supporting each other.

Image

The projects were posted using Hacker League website, and can be seen here https://www.hackerleague.org/hackathons/berlin-geekettes-hackathon/hacks . I participated in Journey Mix, a tool for finding tracks for long activities (the idea started to be pitched with “I used to go clubbing a lot. Now I go running a lot, but I miss the DJs”); and Bikeable Sounds, basically plotting your playlist into your bike path map. Both were using SoundCloud service. Journey Mix got the 4th place, and it’s live at http://alihaberfield.com/journeymix/docs/index.html. The first prizes went to Monkey See Monkey Do (1sthttp://youtu.be/Remm9SjorfY - helping children to understand their schedule); Life in Music (2ndhttp://www.lifeinmusic.net/); and Sound Pairs (3rdhttp://www.speedspiration.com/soundpairs/index.html, another educational tool for teaching sounds to children). My other favourite idea was the Urban Sound Archive, Mood Swings, Wonder Belt and Flip It.

It was an overwhelming experience to find myself with so many female hackers, and I think we were all in this same state of wonderment. But as for reflections on the developer scene, I noted a few important insights:

-       many web developers are just doing HTML5 without any fuss about it. We just did, without calling it HTML5, most of the time it was called JavaScript/CSS programming.

-       two of the most cheered demos, that got the crowd excited, were about sensors. The Wonder Belt used tapping to play Tetris, and the LeapPlay, using the LeapMotion sensor device to play music.

-       having a common objective and appropriate tools made us all go miles this weekend. I learned tons of CSS, my colleagues learned tons about API programming, SoundCloud learned a lot about bugs in their API, and everybody went further than they imagine. I saw one of my colleagues doing this face many times during the time there http://thejoysofcode.com/post/43971443267/when-i-accidentally-fix-a-huge-bug-with-a-single-line

-       having a UX knowledge can really save tons of time from developers. I helped them to think about the objectives, similarities and differences into 3 projects thinking of merging, ending up in two different projects. Ideas about what should be shown, should be hidden, should be featured, presented and in what order helped the developers to focus and achieve a lot more than if they had to test every option.

There are some talks for expanding Berlin Geekettes, and one of the first chapters will be Munich Geekettes, supported by this happy hacker-turned-designer-over-the-weekend reporter. Now if you excuse me, I will crash again because this week was amazing, but I need to recharge.

Chegando lá

Eu tenho ouvido de vez em quando esta frase – você chegou lá. Ouvi algumas vezes na vida, mas ultimamente tem sido mais frequente, seja de um parente que me descobriu na internet ou um conhecido de muitos anos.

Eu sempre achei esta frase um pouco confusa. Lá onde? Ou melhor, aqui, e aqui é onde? Eu imagino que queiram dizer que eu cheguei a um lugar confortável, reconhecido, de sucesso. Porque onde é aqui mesmo, se nem eu sei, imagino que seja difícil imaginar para qualquer um. Quem me conheceu antes geralmente não consegue imaginar ou dimensionar minha vida agora. E quem me conhece agora não consegue imaginar ou dimensionar o que foi antes. Eu agradeço quando me falam isto, mas até pra mim é difícil olhar pra trás e ver o começo.

Mas o que eu sempre fico com vontade de dizer para estas pessoas é que na verdade, você nunca chega lá. Quando você chega lá, ao horizonte que havia visto anteriormente, já tem um outro horizonte a vista. Tem gente que nem começa a viagem, porque o horizonte está longe. Tem gente que nunca para pra contemplar a vista…

Acho que muita gente se refere ao “chegar lá” de maneira financeira. E certamente, minha vida é muito mais confortável agora. E muito mais segura, principalmente morando fora do Brasil. Mas a máxima que dinheiro não trás felicidade foi comprovado por um estudo, que tentou descobrir se as pessoas eram mais felizes sendo mais ricas que outras. E descobriram que existe um ponto onde mais dinheiro não significa mais felicidade. Até um certo ponto sim, porque a falta de dinheiro é uma causa de infelicidade. Mas o excesso dele não faz diferença. Nos EUA este valor é estimado em US$75mil ao ano. Menos que isto pode te fazer infeliz, mas depois disto sua felicidade é a mesma que quem ganha US$300mil ao ano. Simplificando o estudo, “depois que você tem dinheiro suficiente para ir no cinema e comprar pipoca sem se preocupar com a conta de água, sua felicidade entra em um platô”. Eu gosto de ganhar o suficiente para ter uma vida confortável e pensar no futuro, mas gosto muito mais de aproveitar o agora que guardar pra depois. Eu sempre pensei que quero aproveitar a vida agora, viajar, quando estou jovem e com saúde. Esta história de trabalhar demais e acumular pra depois ter que gastar com remédios nunca foi pra mim… alias, ja escrevi uma vez minha opinião sobre dinheiro aqui… http://sulamita.net/2009/03/27/da-pra-parcelar-em-um-milhao-de-vezes/

E o fato de que o mundo é redondo tem uma consequência que muita gente que “chega lá” falha em entender – você não vai estar sempre por cima. Eu vejo isto vez após vez após vez… seja alguém que ganhou uma promoção ou alguém que começou a ser reconhecido na comunidade – já que muita gente que vem a este blog vem da mesma comunidade. Parabéns se você começou a ser reconhecido e se até te convidam para palestras! Mas isto não faz de você um guru de suma sabedoria. Nem uma celebridade. Pensa – são 7 bilhoes de pessoas no mundo; cerca de 1,5 bilhão tem acesso a internet; a maioria usa open source sem saber, mas a comunidade contribuidora em si deve corresponder a que… umas 300 mil pessoas? Não faço ideia, mas você entendeu o conceito ne? Então, deste suposto numero, qual seria este número para o Brazil? Mesmo que você tenha viajado para outros países, a probabilidade é que você conheceu apenas uma pequena parte, e que foi conhecido por mais alguma parte. E você aí já se achando um Tanembaum? Um Júlio Neves? :)

Ou novos gerentes que acham que de agora em diante, são imperadores e podem fazer o que quiserem. Ou que não devem mais ‘se misturar’. E descarregam todas suas frustrações e complexos nos subordinados. Novamente, o mundo gira… e pessoas que antes tinham uma divisão de várias dezenas de pessoas podem virar “contribuidores individuais”, como chamam. E os antigos subordinados podem agora estar em posições de poder, posições que poderiam ajudar… ou repetir o mesmo padrão.

Você sempre vai estar por baixo em algum momento no futuro, e eu acredito que aí vão te cobrar o que você fez quando estava por cima. Ter noção do sucesso trazido pelos seus esforços e trabalho são ótimos. Saber se defender da inveja alheia é necessário. Mas também manter em vista o seu real tamanho no mundo ajuda a não deixar isto “subir a cabeça”. E é isso que eu gostaria de encontrar uma maneira simples de demonstrar para todo mundo, mas sempre vai ter alguém achando que é o Escolhido… aí só resta ter paciência e esperar o mundo girar novamente…

E quanto a mim, é uma sensação boa olhar para trás e não ver o começo. Mas olho pra frente e ainda não vejo o final, o que é ainda mais emocionante :)

Minimoe na Alemanha

Este post é dedicado a amigos e familiares que chegaram a conhecer e amar a Minimoe. Se você gosta de gatos ou apenas curiosidade sobre viajando com gatos, também pode lhe interessar.

Sempre gostei muito de gatos, e sempre tive gatos desde pequena. Tenho a mais profunda convicção da lenda absurda que os rondam – gatos são animais carinhosos, leais e compreensivos. São muito mais independentes e tem muita personalidade, o que os torna ainda mais especiais.

Em 2003, em um período difícil da minha vida, encontrei Minimoe para adoção em uma comunidade no Orkut. A dona não podia mantê-la mais, e ela foi morar comigo. Passou os primeiros dias dentro do guarda-roupa, mas aos poucos foi se acostumando e viramos grandes amigas.

E com o tempo fui aprendendo sobre sua personalidade. Minimoe é extremamente carinhosa, companheira e preguiçosa. Mais que isto, costumo dizer que é uma dama, sempre delicadinha e com bons modos – bom, nem sempre… mas foi criada em apartamento desde que nasceu, tinha terror de ir para a rua. Enquanto vivi em São Paulo, meu apto foi palco de muitas festas e visitas, e Minimoe fazia questão de cumprimentar qualquer um que chegava. Ela não gostou apenas de uma pessoa que passou por lá, preferia meus amigos homens e tinha uma preferencia especial por loiros. Também me acordava pontualmente as 5 da manhã se não tinha comida para o lanche da madrugada, miando algumas vezes e colocando a pata no meu nariz se eu tentava ignorar-la – logo aprendi a nunca ir dormir sem ver se ela tinha o suficiente para a noite. Ela come pouco porém várias vezes ao dia, e uma vez pela noite. Muito curiosa, ela precisa cheirar tudo que se come ao redor dela, mas não quer nada além de ração. A única excessão é kani-kama e azeitonas – sempre que pedíamos pizza nas festinhas, ela não deixava ninguém comer se não ganhasse uma azeitona. Também ama catnip. Uma vez provavelmente por desatenção minha ela encontrou um pacote – quando voltei pra casa depois do trabalho, ela estava literalmente trançando as patas. Ela também tem o hábito de chamar quando é horário de dormir – 11:30 geralmente ela subia na cama e começava a miar, até eu largar o computador e ir dormir.

Porém ao começar a trabalhar para Intel e viajar muito mais frequentemente, ela ficava sozinha muito frequentemente. Minha anja veterinária Marina a visitava sempre, mas eram claros os sinais de stress. Tentei adotar uma compania, que foi muito mal recebido por Minimoe e depois de quatro dias sem dormir com a zona na casa, infelizmente devolvi.

Ainda gostaria de adotar um gato preto ou um bengal, mas vamos ver. Mas com tantas viagens, achei melhor deixar ela com alguém que pudesse dar mais atenção. Assim Minimoe se mudou para Florianópolis, onde foi viver em uma casa com outra gata e, horror dos horrores, um cachorro… sua nova companheira era Bianca, uma gata persa branca criada pela minha irmã, dona de uma personalidade não muito amigável. Minimoe sendo a lady que é, não tinha a menor ideia do que fazer para se defender. Minha mudança para Londres não ajudou muito já que a lei britânica prevê uma possível quarentena para animais vindos de certos países inclusive o Brasil. Mas apesar dos cuidados da minha irmã, apaixonada por animais desde sempre, era claro para mim que Minimoe não estava feliz e protestava muito. Então quando decidi me mudar para Alemanha, logo comecei a buscar maneiras de trazê-la.

As regras da União Européia são primeiro, o animal portar um chip eletrônico que o identifique. Segundo ter a vacinação atualizada, esperar um período de 30 dias, coletar sangue e fazer testes em centros certificados – no caso o Instituto Pasteur em São Paulo – e esperar 3 meses em observação. Após isto, se tudo estiver bem, o animal pode viajar. Depois de combinar tudo com a veterinária – Dra Carla Sales, de Florianópolis, que cuidou de todos os procedimentos – busquei maneiras de trazer-la. Uma estimação a partir de um site de transporte internacional de pets me rendeu uma cotação de 2300 dólares. Are you kidding me? Por este preço vou eu buscar-la. Então pensei em um amigo que atualmente mora em Florianópolis e está frequentemente pelo território europeu – santo KD Hélio Castro :) e tudo combinado para Minimoe vir. Helio teve que ir no Ministério da Agricultura, onde encontrou uma funcionária que havia começado uma semana antes e ainda estava descobrindo o que fazer; mais o fato que a TAM usa um modelo de caixa de transporte completamente aleatório, o que para mim apenas serve para evitar que animais sejam transportados na cabine. Mas Minimoe então faria o trajeto até São Paulo no bagageiro de animais, e via Lufthansa até Munique na cabine.

Para minha surpresa, parece que ela ficou bastante calma durante toda a viagem. A TAM quase a esqueceu no bagageiro, coisa que sabiamente Helio só me contou depois que chegaram. Mas com a Lufthansa, nenhum problema, o vôo vazio possibilitou uma fileira apenas para os dois – Helio e Minimoe – e ela pouco se manifestou. E finalmente, quase 18 horas depois de sair de Floripa, ela chegava a nova casa.

Ao abrir a caixa de transporte, ela parecia um pouco ressabiada, mas nem de perto o assustada que eu esperava. Cheirou algumas coisas, mostrei para ela seu novo banheiro – uma caixa com porta de plastico com areia sanitária dentro – a fonte de agua e uma caminha confortável. Ela deu uma volta e parecia querer se recolher dentro do seu banheiro. É normal para gatos passarem dois ou três dias entocados em algum lugar quando vão a uma casa nova. Mas eu quis deixá-la o mais a vontade possível, e então saquei meu truque infalível – Whiskas sachê. Apenas a visão do pacote já lhe fez esticar o pescoço, o cheiro lhe animou a sair da toca. Enquanto ela comia eu conversava e lhe fazia carinho, e ela começou a reconhecer alguma coisa. Ela ia cheirar meus sapatos e armario, caixa de meias e camisas – a casa ainda tem coisas minhas em caixas já que nos mudamos há uma semana – e vinha me cheirar. Algumas vezes fazendo isto e aparentemente ela se lembrou que já moramos juntos muito tempo, e começou a explorar a casa como se reconhecesse quase tudo. Passamos um bom tempo fazendo reconhecimento da casa juntas, e em menos de uma hora ela já se sentia confortável o suficiente para se arriscar no andar de baixo. O sinal maximo de contentamento veio logo depois, com ela rolando pelo chão e ronronando.

A noite ela passou algum tempo comigo na cama antes de dormir mas logo foi colocada para dormir na sua caminha fora do quarto. Quando acordei ela já estava esperando, passeando pelo andar de baixo e curiosa pelo que havia lá fora. Lhe mostrei a sacada, onde certamente ela percebeu que a vizinha de baixo tem um cachorro, que não estava à vista no momento. E durante o dia, tentei reservar alguns momentos para ficarmos juntinhas, o que ela demonstrou seu apreço ronronando muito. Claro que a este estágio ela já é a dona do pedaço, reclamando de o que é que eu tenho de mais importante pra fazer ao invés de ficar na cama com ela.

Foi interessante também ver que ela reconheceu minha maleta rosa e o que significa quando eu começo a encher de coisas ali. Precisei viajar para o Desktop Summit, e ela não gostou nada nada. Ela literalmente me dá as costas quando está brava, o que ela fazia quando eu lhe dizia que voltava logo. Mas segundo Hector, ela está tranquila, dormindo no meu lado da cama enquanto eu não volto.

O proximo passo será registrar-la em um veterinario – assim se algum dia ela fugir ou se perder, com o registro do chip eles podem me encontrar – e tirar um passaporte para ela. Não pretendo fazê-la viajar muito, mas pelo jeito ela já está confortável o suficiente para isto, então se tiver que optar entre deixa-la sozinha ou em um hotel para gatos ou levá-la comigo, vou ver como ela se comportaria em um hotel. Se isto acontecer, escrevo mais um relato :)

Meus agradecimentos especiais à minha irmã e minha mãe por cuidarem dela durante este tempo; à veterinária por ajudar e cuidar de todos os trâmites; ao santo Helio pela ajuda e dedicação, e a sua namorada que mesmo sem me conhecer, ajudou imensamente a encontrar a caixa de transporte e cuidar dos detalhes da viagem; ao meu namorado fofo que cuida dela enquanto estou em Berlim; a Marina e Piter por terem cuidado dela tantas vezes enquanto eu viajava; e claro, a Daniela que confiou em mim para cuidar da Minimoe em 2003. Achei que vocês todos gostariam de saber que ela está bem e estamos juntas outra vez.

Tem muita gente que diz que os gatos se apegam ao lugar e não as pessoas. A próxima vez que alguém lhe disser isto, indique este post ;)

How nerdy am I

I thought the de-nerdization process was going faster… first time around my NQ (nerdy coefficient) was 93, but 6 years later I’m still over 80… well, if there is better prof of being a nerd than doing nerd tests…

I am nerdier than 86% of all people. Are you a nerd? Click here to take the Nerd Test, get geeky images and jokes, and write on the nerd forum!

Eu pensei que o processo de desnerdização estivesse mais acelerado… no primeiro teste my coeficiente nerd era 93, mas 6 anos depois ainda esta acima de 80… também, quer prova maior de nerdice que fazer testes de nerdice…

Bullying o escambau

Primeiro que bullying é um americanismo, em português é assédio moral.

Segundo que isto não transforma ninguém em assassino em série.

Eu sofri muito nos primeiros anos de escola por ser a gorda da turma – sendo que eu não era a mais gorda, mas por ser a com as melhores notas e provavelmente a mais bunda mole, era a vítima preferida. Depois por ser pobre. Por ser mulher. Nada disto me transformou numa assassina, nem em um ser vingativo.

Por mais que eu despreze religiões – estão aí apenas para segregar e criar ainda mais problemas – nem o fanatismo religioso explica estas coisas. Isto é resultado de uma mente doentia e sem vontade de recuperação. Todos temos o lado bom e o lado mau, e na maioria das pessoas um destes lados é mais forte. Quando o lado mau é muito forte, não há sociedade, oportunidades, família que recuperem. Atribuír a estes fatores é diminuir a imensa maioria que passa por essas e outras dificuldades maiores e não estão roubando nem matando ninguém.

Discernimento para saber que o que faria era um crime este criminoso tinha, pois deixa uma carta pedindo que alguém interceda pedindo o seu perdão. Os números e relatos mostram que ele foi escolhendo principalmente as meninas, fruto de alguma obssessão ou fantasia doentia. O que torna ainda tudo pior…

Não somos o melhor povo nem o melhor país do mundo e já deixei isto claro aqui. Pelo contrário, nosso excesso de cordialidade muitas vezes se confunde com passividade, o que torna este crime ainda mais chocante para um povo pacato. Mas encontrar desculpas ou culpas nesta tragédia que teve como maior responsável uma pessoa odiosa me parece uma afronta ao tamanho do sofrimento de parentes das vitimas e envolvidos.

Nestas horas gostaria de acreditar em inferno para que um monstro deste queimasse. Se safou ainda, o desgraçado. Meus sentimentos aos familiares, amigos, e todos os que agora terão que continuar vivendo com mais este pesadelo

Bad Romance

I want your ugly
I want your disease
I want your everything
As long as it’s free
I want your love
Love, love, love I want your love

I want your drama
The touch of your hand
I want your leather-studded kiss in the sand
I want your love
Love, love, love I want your love
(Love, love, love I want your love)

You know that I want you
And you know that I need you
I want it bad, your bad romance

I want your love and
I want your revenge
You and me could write a bad romance
I want your love and
All your lover’s revenge
You and me could write a bad romance

I want your horror
I want your design
‘Cause you’re a criminal
As long as your mine
I want your love
(Love, love, love I want your love)

I want your psycho
Your vertigo stick
Want you in my rear window
Baby your sick
I want your love
Love, love, love
I want your love
(Love, love, love I want your love)

You know that I want you
(‘Cause I’m a freak bitch baby!)
And you know that I need you
I want a bad, bad romance

I want your love and
I want your revenge
You and me could write a bad romance
(Oh-oh-oh-oh-oooh!)
I want your love and
All your lover’s revenge
You and me could write a bad romance

..

J’veux ton amour
Et je veux ton revanche
J’veux ton amour…

Feliz cumpleaños :)

Futebol, Eleições e Brasil

Twitter realmente matou o blog… pelo menos o meu :)

Futebol

Este ano me vi fazendo algo que sempre me incomodou muito e que sempre critiquei: ficar obcecada pela copa do mundo. Começou de brincadeira, e por pura diversão decidi que ia torcer para a Inglaterra, Espanha e Brasil, claro. Ainda que a torcida para o Brasil fosse incerta: outro campeonato mundial provavelmente influenciariam nas eleicoes, como é de costume. Porém depois dos primeiros jogos, mesmo achando difícil de acompanhar – 90 minutos para meia dúzia de lances emocionantes eh um custo x beneficio duvidoso – aos poucos fui me vendo cada vez mais ligada no assunto, ate virar meu monotema no Twitter.

Via amigos que continuavam com o mesmo desdém que eu antes tinha pela copa soltarem sua irritação pela mesma estar monopolizando tanta atenção, e fiquei pensando a respeito. Primeiro, como é que eu vim parar aqui? Segundo, o que tem demais?

O primeiro eu ainda não sei. Mas o segundo me arrisco a algumas teorias, que podem até estar relacionadas com o primeiro. Uma das coisas que muitos brasileiros que moram fora conhecem eh a idealização do Brasil. De tanto vermos gringos exaltando as belezas, o bom humor e a comida brasileira, acabamos por nos contagiar com esta perspectiva. Quando comecei a viajar para outros países, pensei que veria algo muito diferente, e minha surpresa foi encontrar não só o fato de que todo lugar tem seus problemas, como o fato de que muitíssimos lugares enfrentam exatamente os mesmos problemas. Acho que minha maior surpresa foi ver muita gente dizer “So mesmo no meu país”, o que eu sempre dizia. Entao acabei mudando um pouco minha opinião. Nao é o pior lugar do mundo para se viver – mas muito menos o melhor.

Outra questão era que eu sempre tive a opinião de que quem se importava com copa do mundo não tinha mais o que fazer da vida. E graças ao Twitter, Facebook e outros, vi que eu não poderia estar mais errada. Que muita gente que eu conhecia e admirava exatamente por serem inteligentes, bem informados e trabalhadores se ligavam no assunto com o mesmo fervor que todos. Países conhecidos por seu afinco no trabalho e respeito as regras, como Alemanha, Inglaterra e outros, paravam para ver as partidas exatamente da mesma maneira que eu via no Brasil. O que estaria acontecendo aqui?

Simples passatempo, pura e simplesmente. Vi muita gente conclamando que o povo deveria se manifestar sobre assuntos importantes como política com o mesmo interesse que se manifestava sobre a copa. Mas, pensando bem, não o fizeram? Fora Sarney não foi um trending topic também?

Política

E ja que a maior cobrança era sobre manifestações políticas ao inves de futebolisticas, fiquei pensando no meu voto. Sim, porque eu fiz questão de ir ao consulado de Londres, perder 2hs na fila para ter que voltar na próxima semana e perder mais duas (fui justamente quando Eyjafjallajökull interrompia meio mundo, deixando assim o consulado sem selos oficiais) para garantir que minha opinião seja registrada na eleição deste ano. Opinião esta insegura, na linha de escolher o menos pior, desanimada pelas pesquisas, mas mesmo assim, decidi nao anular meu voto e tentar desfazer a burrada que fiz 8 anos atras quando votei no Lula.

Eu comecei a votar com 16 anos, mas muito antes disto, eu queria participar. Fiquei extremamente infeliz com o resultado da eleicao de 1989 – eu sempre fui muito precoce para tudo, e com 12 anos ja tinha opinião sobre quem eu confiava ou não. Bastante ingênua, mas concordava com coisas sobre o não pagamento da dívida externa, que era um absurdo a quantidade de dinheiro que arrecadavamos comparado com o estado da saúde e das estradas do país. Que a quantidade de ministerios era muito grande, e que cada candidato apenas aumentava este numero. (Que diferença para hoje em dia!!!)

Entao de 94 a 2002, eu votei no Lula. Acreditava que seria diferente. Acreditava naquela indignação sobre a corrupção imperante no Brasil. Ah, como eu fui ingênua. O governo Lula e o PT, na minha opiniao, constitucionalizaram a corrupção, na maior cara de pau. Afinal, se um pais inteiro reelege um candidato cujos coordenadores de campanha foram preso com 2 milhoes de reais para um falso dossiê, cujo inteiro grupo de amigos e apoiadores mais proximos foram todos afastados pelo escandalo do mensalão – e não me venha com xurumelas dizer que ninguém foi condenado ainda, porque impunidade dos seus é a segunda coisa institucionalizada por este governo – aceitou definitivamente que corrupção faz parte. Por todos os lados, quando eu digo que vou votar em quem quer que seja para tirar o PT do poder para passar a mensagem que corrupção não eh aceitavel, todo mundo que vai votar no PT me diz “ah, mas todo mundo rouba”. Caracoles. Eu não roubo, porque vou aceitar e ainda dar permissao para me roubarem?

Brasil

O que me leva ao último ponto. O problema não são os politicos. Se fossem, alguém novo que entrasse mudaria algo, e pode entrar quem seja, não muda o cenário. O problema é o brasileiro. O problema é não ter em quem votar, porque todo mundo, absolutamente todo mundo que entra para esta vida vai para se dar bem. Seja por dinheiro, seja por poder, por favores, todos eles governam pensando na próxima eleição, não em que seria melhor para o povo. Eu não acredito em nenhum, nenhum politico, e ja repeti isto muitas vezes. Todos os politicos envolvidos com software livre no Brasil são tremendos demagogos, vendo no SL uma bandeira a mais para se abanarem. Muita gente envolvida com política não entende a aversão que temos deles, mas é bem simples: imagine que eu trabalho duramente de manhã cedo ao fim da tarde, pago impostos, tenho deadlines e tudo é feito sempre pensando em cortar custos. Deste meu dinheiro, saem os impostos que pagam viagens de caravanas de 50 pessoas para eventos de software livre, para mostrarem que em dois anos fizeram o trabalho que se fossemos nós em nossa empresa, teriamos um prazo de um mês. Claro que eles sabem muito bem porque detestamos esta mistura, mas fingir que não entendem é bem mais facil.

Mas voltando ao ponto, o problema é que o brasileiro é corrupto. O brasileiro paga 50 reais ao guarda para não ganhar uma multa por estar dirigindo fora da velocidade permitida. O brasileiro adora quando recebe o troco a mais. O brasileiro acha que não tem nada de mais enganar um bêbado na conta. É a centenar história: farinha pouca, meu feijão primeiro. E vou um pouco mais além: o homem brasileiro acha bonito trair, acha que é mais macho por enganar a pessoa que esta do lado dele todo dia e toda noite. Se trair seu principal companheiro é aceitável, porque não o seria com alguem bem menos próximo?

E quando penso nisto, tenho a maior vontade de votar nulo, porém isto seria desperdiçar meu voto, seria apenas uma falsa sensacão de nao compactuar com a situação. Mas isto seria apenas me isentar das responsabilidades e não me adiantaria nada, então me contento em tentar desautorizar esta bandalheira que rola solta. Além do mais, não votar na Dilma é uma escolha muito obvia. Concordo plenamente com as analises de que a Dilma que existe nao é candidata, e a que é candidata não existe. A Dilma é apenas um fantoche que marketeiros estão tentando fazer funcionar. Ela apenas recita o que é passado, e mesmo assim, sem a menor competência.

A Marina Silva parece bastante coerente nas suas posiçoes, mas preciso ler mais a respeito. Confesso que o fato de ser evangélica me dá arrepios, vide o que acontece no Rio de Janeiro. Acredito em um estado laico, onde pessoas que pagam seus impostos igualmente deveriam ter os mesmos direitos igualmente, e que religiao é uma questao individual que nunca deveria ser usada para suprimir de outras pessoas a liberdade individual. Mas lembrando dos medicamentos genéricos, a batalha contra as empresas de cigarros, e lendo o histórico de vida, meu voto atualmente vai para o Serra. Um candidato que nunca teve muito a minha simpatia, nao sei bem porquê. Talvez seja a semelhança com o Mr Burns. Mas no momento, é o que me decidi. Se ele ganhar, não sera uma vitoria, mas pelo menos não será uma derrota tão retumbante perante a intimidação da imprensa, a corrupção e a vergonha que me dão os discursos do nosso presidente.

Enfim

Bom, aí esta minha manifestação sobre política. Se vai alcancar tanta audiência como meus twitts sobre a copa não sei, mas espero. Se eu prometer fazer isto toda eleição, posso torcer sossegada?

Parabéns Espanha! Bem vindos ao clube ;)

E fica aqui o desejo que um dia não só o Brasil mas como todo o mundo valorize mais a honestidade, o trabalho e a igualdade que dinheiro e status. Que uma pessoa valha mais por seu caráter, não pelo tamanho da casa ou o preço do carro. E que cada seja feliz o suficiente com a própria vida para não estar cuidando e ditando como os outros devem levar as suas próprias vidas.

Almost one year

Quase um ano depois (pt_BR)
Traduçao feita a bronc^H^H^H^H pedidos:

Semana passada recebi uma carta da imobiliaria dizendo que meu contrato estava para vencer e se eu queria renovar. Nossa, já passou um ano inteiro? Quase…

Quase um ano depois e uma visita ao Brasil me deram mais confiança na minha decisão, e eu posso dizer que este está sendo o periodo mais feliz da minha vida. Depois de quase quatro anos de namoro, Hector veio morar comigo. Estou viciada em chá, um a tarde e um descafeinado antes de dormir. Eu mudei meu cafe para descafeinado e minha Coca Cola Zero para Coca Cola Diet Descafeinada e curei meus problemas de insônia. O trabalho vai bem, vivendo momentos no mínimo interessantes, e ultimamente quase todo o meu tempo tem sido dedicado a aprender C++ e Qt. Minha unica resolução de ano novo eh ir para a academia 5x por semana, inspirada pelo video 365 dias de exercicio – o que Murphy não está disposto a cooperar* – e deixar meu cabelo voltar à cor natural, apenas para lembrar que cor eh esta. Eu ate cortei um pedaço grande dele para tirar a parte mais estragada, de tantas tinturas e loucuras eu tenho feito nos ultimos 15 anos. A primavera por aqui começa a mostrar as primeiras cores, e a vida segue bem.

Um ano depois, as experiências que eu tive por aqui tambem foram bem diferentes…

Sistema de Saude

Eu finalmente consegui entender e usar o sistema de saude por aqui. O NHS, o sistema inglês, supostamente eh um dos melhores do mundo. Mas para alguem acostumada a usar o sistema de saude privado em São Paulo, o que eh excelente, foi um choque. Aqui eu preciso ir consultar meu GP, clinico geral, para tudo. O clinico gasta no máximo 10 minutos em cada consulta, e decide se vai te dar alguma medicação ou encaminhar para um especialista. A primeira vez que eu consultei um porque minha fibromialgia estava atacando, recebi um anti-inflamatorio que quase reabriu minha gastrite, então eu nao estava muito entusiasmada para voltar. Porem cinco meses atras eu cai enquanto tentava andar de patins, e machuquei meu ombro. Eu pensei que iria curar por si mesmo, porem depois de tanto tempo, ja era hora de procurar ajuda. Eu fui ao meu clinico, que disse que provavelmente eu apenas precisaria de alguma fisioterapia. E ainda me disse que ainda bem que eu tinha plano de saúde privado pois assim poderia conseguir mais rapidamente, se fosse esperar pelo sistema publico levaria meses para conseguir.

Infelizmente a fisioterapia nao foi suficiente, e depois de três sessões ficou claro que eu ia precisar de recursos mais fortes. Mas daih eu precisava voltar ao meu clinico para informar e pedir outro encaminhamento para um especialiasta. Agora começa meu calvário… primeiro, encontrar um especialista. Como eu iria usar meu plano , o clinico não me deu nenhuma referência, apenas disse para eu procurar no Google ou nas páginas amarelas. Meu seguro de saúde me disse que não poderia me dar nenhuma referência porque eles pagam os médicos depois, o que para eles é conflito de interesse. Então começo a buscar hospitais online e ligar para tentar marcar uma consulta. Depois de muito ligar e ser transferida de ramal em ramal ate conseguir chegar a uma clinica ortopedica, e a primeira pergunta é se eu tenho a carta de referência do meu GP. Eu repondo “Sim!”, bem feliz. Então, vem a decepção – ‘o seu GP é que tem que nos contactar para uma consulta, não você, não é assim que funciona’. A esta altura eu comecei a chorar, de frustração, de dor no ombro, de confusão. Eu não entendia o processo, eu não entendia o sotaque da maioria das pessoas que eu tentava falar por telefone, elas não entendiam o meu, e parecia que eu estava em um loop. Quando me acalmei, comecei a pensar e tive uma idéia, liguei novamente e quando me perguntaram se eu tinha a carta do GP, eu respondi que tinha seguro privado. Bingo! Ou quase, eu teria que esperar por 3 meses para uma consulta. Finalmente eu consegui uma referencia com minha fisioterapeuta, e consegui uma consulta com um especialista em traumas/esportes/membros superiores(ombro). Até agora eu não entendi esta história de especialistas, no Brasil seria um ortopedista e pronto. Aqui eles tem osteopata, que eu não sei bem onde se encaixa, especialistas em traumas e cirurgião ortopedista. E sem mencionar o plano de saúde debatendo se o médico era um ‘medico’(physician) ou ‘consultante’, e que não poderia requisitar exames, o que mais tarde eles pareceram esquecer. Bom, no fim, consegui o pedido e fazer a ressonância magnetica, e depois uma injeção de cortisona diretamente na bursa. Você sabe que está ficando velha quando o médico te explica o que é bursite. A injeção foi horrível, doeu pacas e eu acho que fiquei um pouco chapada, eu mal conseguia formar frases completas. A dor foi imediatamente piorada depois da injeção de tal forma que nenhuma posição melhorava. Mas depois de algumas horas, eu comecei a sentir meu ombro melhor do que antes da injeção. Nos próximos dias foi melhorando cada vez mais, e apenas uma semana depois eu já estava quase completamente recuperada. Agora estou fazendo fisioterapia para fortalecer os músculos e melhorar a postura. O desafio agora é convencer minha personal que isto não quer dizer que eu já posso usar pesos.

Eu ainda não estou segura sobre a grande diferença nos sistemas. Para ver meu GP, eu tenho que marcar uma consulta, que não raramente leva dois dias. No Brasil eu iria sem consulta marcada e esperaria 3hs para ser atendida – literalmente, eu tive que fazer isto durante as férias. Ambos os sistemas me fariam esperar meses pela fisioterapia, e Deus sabe quanto tempo pela ressonância. Talvez no Brasil seriam anos ao invés de meses? Mas sabe, saúde é algo muito caro. Eu recebi o extrato das despesas que o plano está cobrindo, e apenas a ressonância custou 799 libras, quase 2200 reais. Não é de se admirar que os sistemas de saúde pública sejam tão problematicos em todo lugar…

Ah, e eu disse que Murphy não está afim de cooperar com minha resolução de treinar mais vezes por semana porque apenas 10 dias depois das ferias, quando meu corpo estava começando a entrar no ritmo novamente, eu caí na rua e machuquei meus joelhos. Então por quase 3 semanas, nada de academia. Depois dos joelhos melhorarem, eu ainda precisava poupar o ombro. Mas eu sou teimosa, eu vou continuar com minha resoluçao. E depois de estar me sentindo miserável, eu realmente valorizo minhas juntas, o simples fato de andar onde eu quero e rotacionar meus braços me deixa super feliz. Dancinha! \o\ /o/ _o_ |o|

Roupas

Eu ainda estou aprendendo a me vestir aqui, e mais importante, o que comprar. Quando o verão acabou e o outono começou, eu descobri que estava sendo otimista demais com minhas compras. O casaco mais pesado que eu tenho, um sobretudo de lã grosso que eu comprei em Portland e usei no máximo 3x no Brasil, rapidinho não era mais suficiente. Tamanhos também são complicados. Você não pode comprar um casaco no seu tamanho, você tem que comprar um tamanho maior para poder colocar uma blusa de lã ou moletom por baixo. E infelizmente pra mim, meu ponto fraco são meus pés, o que quer dizer que eu não posso usar meus sapatos preferidos sem congelar meus pés, o que me salvou foi uma bota de neve que minha sogra me deu. Para resistir ao frio, você começa a adicionar camadas e camadas de meias, meia-calça, polainas, moletom, casaco, camisas de lã, e sobretudo. Isto e mais luvas, cachecol e um chapeu. Mas isto dura 10 minutos, até você entrar em um trem ou ônibus e começar a tirar tudo. Então eu comecei a perceber que não valia a pena o esforço, era sempre no máximo uma quadra até o ponto de ônibus ou do ônibus/trem para o escritório. E mesmo com todo este esforço, meu nariz ainda congelava. Ver a neve pela primeira vez foi muito legal – especialmente porque eu experimentei apenas dois dias antes das férias e dois dias depois – mas quando está abaixo de zero, até meus dentes doem se não tenho o rosto protegido dentro da gola do casaco. Então eu tive que aprender também a planejar de acordo com as atividades. Se eu vou estar na rua por algum tempo, vale a pena investir e se encapotar. Se é apenas uma caminhadinha rapida, não vale a pena. Agora é aprender quando fazer o que, eu falhei miseravelmente em calcular isto a ultima vez que fui a Camden Town, um bairro de Londres que parece uma grande galeria do rock. Mas agora eu encontrei o maravilhoso mundo das malhas com isolamento térmico, o que me deixa novamente feliz. E outra coisa, o número de casacos e camadas geralmente entrega quem é de fora.

Sapatos também são complicados, porque são muito mais aleatórios do que parece. Supostamente, meu tamanho converteria para um tamanho 6. Muitos sapatos são importados de outros países da Europa, onde o meu tamanho é 39. Mas o problema é, isto se aplica praticamente metade das vezes, nas outras vezes pode ser um 5 ou 38. O que é ainda pior quando sua loja de sapato é online.

Eu finalmente aceitei o fato de que não existe tecido que usem para fazer calças apropriadas para esta temperatura. Eu tentei meia-calça fio 80 com saia, e realmente não faz muita diferença a um par de calças jeans. O que claramente mostra quem são os nativos é o fato que eles não precisam de camadas. Eles saem bravamente com as pernas nuas ou apenas um casaquinho sobre a camiseta. Amostrados. Eu nunca tive coragem de perguntar se eles tomaram algum conhaque antes de sair…

Cozinhando

Você nunca vai acreditar em quanto vocabulário você realmente precisa para tarefas simples como as compras da semana. O que exatamente é basil? O que é celeriaco? Como vou cozinhar feijão sem panela de pressão? Alias, onde encontro feijão preto? Eu prefiro sirloin, rump steak ou angus? Ou deveria apenas para de comer carne porque esta história é muito complicada? Com os preços da carne aqui, é até uma idéia tentadora. O melhor é que bacalhau fresco, atum e salmão aqui são muito mais baratos que carne vermelha, o qual eu já estava diminuindo a quantidade consumida. E sinceramente, um bom bife fresquinho de atum grelhado é melhor que carne.

Eu estou até testando novas receitas. Comprei minha própria cassarola, e fiz um cozido de ovelha, que cozinha lentamente por 1:30hs. Ficou bom, mas dá pra melhorar. Geralmente preciso tentar 3x para acertar uma receita. Eu fiquei tão encantada pelo filme Julie & Julia que eu comprei o livro e aprendi a fazer ovos ponché, perfeitos. Toda fim de semana eu tento algo mais elaborado, tipo batata fungui, e tem sido uma grande tradição.

Notícias daqui por jornais brasileiros

É inacreditável a quantidade de notícias completamente irrelevantes e completamente ridículas que os jornais brasileiros escolhem para publicar sobre a Inglaterra. Os favoritos são os estudos científicos mais absurdos possíveis, mas eu diria que 90% do que se publica no Brasil não sai nos jornais locais. E o pior é que são anunciados como se fossem algum grande acontecimento aqui. Festivais que ninguém ouviu falar, lojas ou restaurantes obscuros, histórias bizarras contadas por algum tablóide. Algumas vezes eu acho que fazem de propósito, para parecer que tudo por aqui é ridículo.

O que até faz sentido, na verdade. Se eles publicam o que realmente está acontecendo, pode levantar comparações indesejáveis com o Brasil, afinal, há que manter-se a imagem do melhor país do mundo, né? Por exemplo, um dos maiores debates aqui nos últimos tempos foi o escândalo do abuso das despesas parlamentares. Mas isto só estava em discussão porque todo mundo tem acesso as despesas declaradas, inclusive as do primeiro ministro. Certamente, houve muitas discussões e políticos tentando provar que não haviam feito nada de errado, mas no fim das contas, os contribuintes tem todo o direito de saber onde o dinheiro está sendo usado. Já no Brasil… bom, não vamos entrar neste assunto outra vez né?

No começo eu li algumas vezes um blog de um cara vivendo em Londres, mas ele era tão chato que eu não aguentava, sempre reclamando, de uma maneira bastante grosseira e muitas vezes achando que todo mundo compartilhava a opinião, e eu sabia que não era verdade. E não é que eu não goste de ranzinzice, pelo contrário. Meus programas de TV preferidos atualmente são Velhos Ranzinzas e Jovens Resmungões. Mas existe uma grande diferença entre ser ranzinza de uma maneira sarcástica e inteligente ou ser apenas sem noção. Então, eu estou evitando ler notícias sobre a Inglaterra na imprensa brasileira, não vale a pena.

Notícias do Brasil aqui

Isto é algo que ainda me deixa pasma. Os responsáveis pelas Relações Públicas deste governo são os melhores de toda a história. Tipo, uma semana depois do Rio de Janeiro ser declarado a sede das Olimpiadas de 2016, eu pensei ‘isto vai ser uma bomba’. Dias depois, nada. Eu comecei a ficar intrigada, como assim ninguem estava falando a respeito, ninguém me perguntava… procurando no site da BBC, encontrei uma nota pequena a respeito, em um canto sem muita importância. A visita do presidente iraniano foi outra surpresa. Enquanto nos jornais brasileiros Lula expressava toda sua amizade a Mahmoud Ahmadinejad, defendendo sua eleição e dizendo sandices tipo ‘não conheço ninguém, a não ser a oposição, que tenha discordado da eleição do Irã… Por enquanto, é apenas, sabe, uma coisa entre flamenguistas e vascaínos’; no exterior Lula aparecia como alguem tentando dialogar e arrazoar com Ahmadinejad. Tipo, SRSLY? O que será que precisa para o mundo começar a perceber que entre Chavez e Lula não tem assim tanta diferença? Olha os argumentos de ambos, são iguaizinhos. Diga-me com quem andas que te direi quem és – os melhores amigos do Lula ultimamente são o Chavez, o Fidel, e agora, Ahmadinejad.

Ah, claro, e tambem tem a parte comica. A ultima que eu vi foi ‘Brasil acaba com a corrupção’ e os comentários de ‘que exemplo a seguir!’. Daí eu decidi parar de ler jornais brasileiros tambem. Pra quê?

Xo-Xo, Jovem Resmungona

en_EN

So last week I received this letter from my landlord – actually the agency representing my landlord – saying that my contract was due and if I wanted to renew it. Wow, one entire year already? Almost…

Almost one year later and one visit back to Brazil has made me more sure about my decision, and I can say that’s the happier period of my life. Hector moved in with me, finally, almost four years now. I’m addicted to tea, one in the middle of the day and one decaf before going to bed. I changed my coffee and Coke to decaf and this fixed my insomnia problems. Work is going great, interesting times, and I’m spending most of my time trying to learn C++ and messing around with Qt. My only resolution for this year is to go to the gym 5x a week – which Murphy seems to disagree* – and grow my hair back to its natural colour, just to remember how it is like. I even cut a large piece of it, so damaged it was from all the tints I’ve being applying in the last 15 years. Spring is showing its first colours, and life is really good.

One year later, the experiences I had were also different.

Health Care

I finally understood and hacked down the healthy system. You see, NHS, UK’s health system, is suppose to be one of the best in the world. But I was used to the private system in Sao Paulo, which is really really good. In here I need to go see my GP first for anything, who only spends maximum 10min with me before deciding if s/he’s going to give me some medicine or send me to a specialist. First time I tried, because my fibromyalgia was kicking in, I got a prescription for an anti-inflammatory so strong it almost gave me my gastritis back. So I wasn’t trilled to go back, but I had to. Six months ago, I was trying to skate, and I felt down on my shoulder. I thought it would heal itself, but after that long, I was just tired of waiting. I went to my GP, who said that probably I only needed physiotherapy to get it back on shape. Since I got private insurance, I was able to do it quickly, otherwise it would be several months to get it.

Unfortunately, physiotherapy was not enough, and after three sessions it became clear I would need stronger resources. But I had to go back to the GP to inform and get a request for a specialist. This was the most frustrating part. First, to find the doctor. Since I was going through the private insurance, the GP didn’t gave me any names, just said to check on the yellow pages or Google. My private insurance company wouldn’t give me any referrals either because they think it’s ‘conflict of interest’, since they pay the specialist. So I found some hospitals online and called in to book an appointment. Going around and around trying to finally get the number for the orthopaedic clinic, extension and whatever to finally try to book a consultation, the first questions is if I have a referral from my GP. Yes, I do! Then the disappointment – your GP needs to send the request, not you. At this point, I started crying, so much frustration, I couldn’t understand the process, I couldn’t understand the accent most people I was trying to contact and they couldn’t understand mine, I was in pain and feeling in a loop without a way out. Then I calmed down and started thinking, I called back to the hospital and when they asked me if I got a referral, I said ‘I have private insurance’. Bingo! Or almost, I would have to wait 3 months to get an appointment. I finally got help when my physiotherapist gave me an indication, and I was able to book an appointment with an Injuries/Sports/Upper Limb(shoulder) Specialist. So far, I still don’t understand the specialities: in Brazil it would be an orthophedist and that’s it. Here they have an osteopath, which I’m not sure where fits, injuries specialists and the orthopaedic surgeon. And let’s not even talk about the health insurance saying the doctor was a physician and not a consultant(?), and could not request exams, which later they seemed to think otherwise. But even so, I managed to get a request and then a shoulder MRI, then a cortisone injection directly to the bursa. You know you’re getting old when your doctor explains to you what is bursitis. The injection was horrible, painful and I think got me high, I wasn’t able to make full sentences. The pain was aggravated immediately after the injection, so it was a miserable day where no position would make it better. But some hours later in the evening, I started to feel my shoulder better than before the injection. In the next days, it was getting better and better, and only one week later I’m fully recover. Now doing physiotherapy to strength the muscles around and get a better posture. The trick now is to convince my trainer that this doesn’t mean she can have me lifting weight yet…

I’m still not sure about the big difference on the systems. To see my GP, I need to make an appointment, and it’s not unusual to have to wait two days for that. In Brazil I would make no appointment and wait for 3hs – literally, I had to do that while I was there during the holidays. Both systems would make me wait for months for physiotherapy, and God know how long for an MRI. Maybe in the case of Brazil it would be years? But health it is really expensive. I received a letter from my insurance company stating the MRI costed 799 pounds, almost 2200 reais. No wonder the system is so difficult anywhere…

Oh, and I say Murphy disagree with my resolution to go to the gym more often because about 10 days after the holidays, when my body was starting to get back on track fitness-wise, I fell down on the street and hurt my knees badly. So, no gym for almost 3 weeks. After getting my knees better, I still need to go slow on the shoulder. But I’m persistent, I will continue to pursue my resolution. And after being that miserable, you really valuate your joints, so just the fact that I can walk and rotate my arms make me very happy. Let’s dance! \o\ /o/  _o_ |o|

Clothes

I’m still learning what to dress, and more important, what to buy. Once summer was over and autumn started to kick in, I discovered that I was being very optimistic with my purchases. The heaviest coat I had, a wool full length coat bought in Portland and used only there and about 3x in Brazil, very soon was not enough. Sizes are also tricky. You can’t buy a coat in your size, you need to buy one size extra so you can put a jumper or sweater underneath. And unfortunately for me, my weakest part are my feet, which mean I can’t use my shoes without freezing my toes. Then you start adding layers and layers of leggings, socks, sweaters, wool shirts and coat. Plus gloves, scarf and a hat. But then you enter the bus or train, and half of that goes off immediately. So I started realizing all that effort was mostly to walk one block to the bus station, and one block to work. And even with all this effort, my nose would freeze. Snow was really cool – specially because I only got like four days of it – but makes my tooth hurt if my face isn’t protected. So I had to learn to adjust the layers according to the plan. If I’m going to stay outdoors for some time, it’s better to be very warm. If it’s just a couple of blocks, not so much. Now the trick is to be able to predict exactly how much are you going to be outdoors, I miserably failed to predict that last time I went to Camden Town… but now I found the wonderful world of insulated fleeces, so I’m good. And usually, the amount of coats and layers tell off who is new in town.

Shoes are also being tricky, because it’s much more random than should be. Supposedly, my size would convert to a size 6. Many shoes here are sold in the European metric, in which case would be 39 for me. But the problem is, almost half of the time, I find that I may be a size 5 or 38. Which is horrible when your favourite shoe store is online…

I finally accepted the fact that there is no fabric to make trousers proper for winter. I tried the leggings 80 with skirt, and it doesn’t make much difference from a pair of jeans. What clearly distinguish the natives from outsiders is the fact that they don’t need layers. They go bravely with bare legs or just one sweater over the t-shirt.  Show off. I never got the guts to ask if they had any cognac to heat up before going out…

Cooking

You never realise how much vocabulary do you actually need for simple things like shopping. What is basil, exactly? What is celery? How can I cook black beans? And where are the black beans, by the way? Do I like sirloin, rump steak or angus, or should I just stop eating meat? With those prices, it’s a tempting idea. The best thing is that cod, tuna and salmon are cheaper than meat, which I was reducing the intake anyway. And I gotta tell you, sometimes a fresh tuna steak is better than meat.

I’m even trying some new recipes. I bought my own casserole and did lamb stew, which cooks slowly on the oven for 1:30hs. It was good, but I can do better. It usually takes me three trials to master a recipe. I was so captivated by the movie Julie & Julia that I bought the book, and learned how to make perfect poached eggs. Every week we make something more elaborated, like potato fungi, and it’s a great tradition so far.

Oh, and for the smart asses there: yes, I know which meat cuts are what, and my favourite is the same: fillet.

News from here outside

It’s unbelievable the amount of completely irrelevant and utterly embarrassing news Brazilian newspapers choose to publish about Britain. Their favourites are the weirdest possible ‘scientific research’, but I would say 90% of the news you read about UK in Brazilian papers are not in the local newspapers. And the worst is that sounds like that was the big news around here. Festivals no one heard about, obscure stores or restaurants, bizarre stories told by some tabloid. Sometimes I think they do that just to make this image that here everything is about this silly issues.

Which would make sense, because if they publish the real thing, the readers either won’t be interested or they would start comparing with Brazil. For example, one of the biggest discussions of last months was around the parliamentary expenses. But that was only in discussion because everybody has access to what they declare as expenses. Sure, there was many arguments and politicians trying to pretend there was nothing wrong with it, but in the end of the day, contributors have the right to know where their money is being used. Back to Brazil… no need for comments, right?

Back in the first months I started reading this blog from this guy living in London, but he was so annoying I couldn’t bear it, always complaining in a very rude way and many times pretending his opinion was shared with everyone living here. And it’s not like I don’t like grumpiness, on the contrary. My favourite TV shows now are Grumpy Old Men and Grouchy Young Men. But there is a difference between being grumpy in a sarcastic intelligent way and being just rude and clueless. So, I’m avoiding reading news about UK in Brazilian press, it just doesn’t worth it.

News of Brazil from here

That is something that I’m still not over. The Public Relationships team working for this government it’s the best team evah. I mean, only a week after Rio de Janeiro was announced as the host for the Olympics 2016, drug dealers shot down a military helicopter – and here no one knew it. When I saw the news in Brazilian online newspapers, I though “this is going to be a bomb”. But nothing. Several days later, I couldn’t understand, so I started looking for related news at BBC news website and others, and only found a small note about it, thrown at some corner with no importance. The visit of Iranian president was another point to understand that. While on the Portuguese news websites Lula was supporting  Mahmoud Ahmadinejad, defending his election – he literally said the protesters were just a political opposition minority, and it was a matter similar to rivalry in football - and another insanities, outside he was being portrait as someone trying to talk some senses into Ahmadinejad. I mean, really??? What will take to the world to understand that between Chavez and Lula there isn’t that much of difference? That there is a reason why Lula’s best friends are Chavez, Fidel, and now, Ahmadinejad?

There are also the comic pieces. The last one was “Brazil ends corruption“, and people claiming “what an example to follow!”. Oh geez… but then I decided to stop reading Brazilian newspappers. Why would I?

XoXo, Grouchy Young Woman